Seminário reúne práticas exitosas da rede de Salvador

img_1638
No início do seminário, educadores fizeram uma grande roda no auditório

Lilia precisava apontar num texto a palavra “luminosa”, mas teimava em indicar o nome “brilhante”. A professora Eliana César, do 2º ano da Escola Municipal Senador Antonio Carlos Magalhães, na Orla, perguntou então com que letra as duas palavras começavam. “Com L, pró”, a menina respondeu. “Aqui ó, se você tirar essa bolinha [do b], é igual”. Crianças são assim mesmo, desafiadoras. Para fazer com que Lilia avançasse, Eliana partiu então para uma outra intervenção. Pediu que ela dissesse com que letra “luminosa” terminava. O “a” final era bem diferente do “e” de “brilhante”. Assim, a aluna conseguiu apontar para a palavra correta.

Intervenções didáticas como essa fizeram com que a turma da professora Eliana tivessem um avanço robusto. No começo do ano, só três dos seus 19 alunos eram alfabéticos. Hoje, a situação se inverteu. Apenas três estudantes da turma ainda não conseguiram alcançar a hipótese alfabética de escrita.

Eliana compartilhou essa experiência durante o terceiro Seminário Regional do projeto Nossa Rede, que aconteceu durante os dias 26, 27 e 28 de setembro reunindo, a cada turno, educadores de duas regionais de ensino de Salvador. O tema do encontro foi “O currículo Nossa Rede em sala de aula: reflexões sobre a prática”.

O trabalho feito em sala de aula por Eliana foi acompanhado de perto pela equipe da Secretaria Municipal de Educação (SMED) e do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP) por meio da ação Escolas Formadoras, que acontece em 12 escolas da cidade. O objetivo é fortalecer as orientações curriculares de Língua Portuguesa e Matemática trazidas pelos cadernos do Nossa Rede. No começo, Eliana confessa que ficou desconfiada, achando que seria “fiscalizada”, mas hoje se alegra pela oportunidade de refletir sobre sua prática a partir do apoio dado por toda a equipe e pelo avanço da turma. “Vi o tamanho do aprendizado possível, vi uma forma construtiva de aprendizagem. Hoje, me sinto muito mais segura, mais consciente. Sei que o planejamento precisa ser o nosso norte”.

img_1761
Educadoras se emocionaram durante apresentação no seminário

Outros dez educadores de Salvador apresentaram durante o seminário relatos qualificados do trabalho realizado a partir dos cadernos do Nossa Rede, que foram construídos coletivamente entre os meses de agosto de 2015 e junho de 2016. A professora Elienai Brito, da Escola Municipal Nossa Senhora da Paz, historiou o desempenho da sua turma desde o início do ano e mostrou como os alunos estão agora. “Minhas intervenções não eram com o objetivo de que as crianças escrevessem corretamente de imediato. Tinham o objetivo de ajudá-las a confirmar e confrontar suas hipóteses de escrita e, com isso, elas avançaram”.

Já a professora Viviane Cavalcante, ao lado da coordenadora pedagógica Adriana Souza e da gestora Luciene Guimarães, da Escola Municipal Risoleta Neves, fizeram uma apresentação com o tema: “Aprender em parceria: Intervenções em Pauta”, que mostrou um verdadeiro trabalho em equipe e provocou o silêncio atento do público.

A secretária de Educação, Joelice Braga, e a gerente de currículo, Gilmária Cunha, também participaram do encontro
A secretária de Educação, Joelice Braga, e a gerente de currículo, Gilmária Cunha, também participaram do encontro

Os últimos depoimentos do seminário vieram das professoras Liana de Melo Oliveira, da Escola Municipal Criança Feliz, e Andrea Vieira da Conceição, da Escola Municipal Desportiva Santa Rita. Elas emocionaram a plateia com o relato de como “mergulharam” seus alunos em práticas sociais de leitura e escrita, trazendo a literatura para dentro da sala de aula.

História, geografia e ciências 

O encontro também tratou das orientações curriculares de História, Geografia e Ciências, que estão sendo atualizadas pelo projeto Nossa Rede. A historiadora Heloisa Monteiro mostrou as expectativas de aprendizagem definidas para cada ano, a partir dos conteúdos e objetivos discutidos com a rede. O trabalho foi feito por um grupo de especialistas composto por Heloisa e pelos geógrafos Marcelo Faria e Marcelo Correia, além dos biólogos Valter Forastieri e Edinaldo Neves.

O material está disponível na plataforma do Nossa Rede e segue aberto à sugestões dos educadores. “Agora, nós precisamos avançar nas questões de gênero, etnia e aspectos culturais, para que as orientações tragam essa marca”, conclamou Heloisa. Para isso, o ICEP convidou o professor Cláudio Orlando do Nascimento, pesquisador do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (CECULT) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e coordenador do mestrado de História da África, da Diáspora e dos Povos Índígenas, para trazer esta marca para o currículo Nossa Rede.

Música e dança

O seminário foi encerrado da melhor maneira possível, com muita música e dança. Ao final do evento, os educadores conheceram algumas das canções que irão animar e enriquecer as aulas de Língua Portuguesa e Matemática das escolas municipais de Salvador. As músicas foram produzidas pela Associação Pracatum para acompanhar as sequências didáticas dos cadernos do Nossa Rede.

img_1639
Elisabete Monteiro, coordenadora territorial do ICEP, e Gerson Silva, diretor de música da Pracatum

Quando forem falar sobre contagem, por exemplo, que é uma das sequências didáticas do material de Matemática para alunos do 1o ano, os professores poderão colocar para tocar a tradicional cantiga Um, Dois, Feijão com Arroz, que teve a letra adaptada para Um, Dois, Dobradinha com Arroz, Três, Quatro, Caruru no Prato, para se aproximar da realidade soteropolitana. A música foi gravada pelo cantor Márcio Vitor, do Psirico, em ritmo de groove arrastado. Artistas como Saulo Fernandes, Margareth Menezes e Raimundo Sodré também participaram do projeto, que levará para as salas de aula ritmos próprios da Bahia, como o samba chula, o samba reggae e o pixote.

Em breve, as músicas vão estar disponíveis na plataforma do Nossa Rede. No ano que vem, todas as 60 músicas estarão reunidas em um CD, que será distribuído com os cadernos pedagógicos de Língua Portuguesa e Matemática.

Anúncios